Comemoração dos 35 anos do INESC

Caros Inesquianos:

O Conselho Superior do Sistema INESC, que integra a direcção do INESC e todas as direcções das demais instituições do sistema, decidiu promover a celebração dos 35 anos da criação da instituição, promovendo a produção profissional e edição de um Livro que registe testemunhos do “povo INESC – investigadores, técnicos, administrativos e gestores” no passado e no presente, bem como de personalidades externas representantes dos nossos associados e das mais relevantes instituições de ID portuguesas e de outras individualidades de relevância, e ainda de fotos, documentos e outro material que valorize o registo da nossa memória colectiva.

Como dito acima, o livro será produzido por um profissional, que fará entrevistas, seleccionará o material a incluir e garantirá a qualidade final da obra em papel, que se pretende ter a dignidade que a efeméride justifica.

Escrevo-vos neste momento para vos dar a conhecer esta iniciativa, que terá expressão social num evento público em Novembro, onde será apresentado o Livro dos 35 anos, provavelmente na Fundação das Comunicações em Lisboa.

E venho desafiar-vos a contribuírem activamente para a recolha de material para a “Memória do INESC”, desde 1980 até ao presente, já no contexto, desde 1999, do “sistema INESC, com as 6 instituições que o compõem. Muitos de nós “guardamos memória” de factos, pessoas, projectos, protótipos, soluções que são marcos importantes nesta caminhada, temos cópias de publicações em meios da comunicação social, fotografias da malta, dos passeios, dos encontros, dos jogos de futebol e de muita outra coisa que foi suficientemente valorizada para ser guardada.

Irei ainda desafiar a “Velha Guarda” para nos ajudarem neste projecto, nomeadamente dinamizando as tribos de que fazem parte no sentido de fazerem surgir à superfície o valioso material que certamente está na nossa posse colectiva.

Em termos de apoio central iremos nomear uma equipa técnica e administrativa para, através de suportes informáticos, ajudar nos contactos, nomeadamente na descoberta de inesquianos “perdidos”, na divulgação nas redes sociais, etc, e na disponibilização a nível interno do material que se for recolhendo, para anotação deste, de forma aberta e participada, e para facilitar a partilha das boas práticas na organização e na recolha deste material.

Agradeço desde já todo o apoio que individualmente e em grupo entendam prestar à nossa celebração. Ajudem a divulgar o projecto aos inesquianos na diáspora, aos já reformados, aos que estão activos nos mais diversos sectores de actividade nacional e internacional. Todos são chamados e bem-vindos a celebrar a nossa história. Não esquecer aos muitos inesquianos não portugueses, cuja participação é também especialmente bem-vinda.

Vamos a isto, camaradas!

Tribolet